sábado, 12 de novembro de 2016

Alessandro Buzo entrevista os dois protagonistas do seu segunda filme: Fui ! Brenalta Silva e Camila Lobato.



O filme: Fui ! que tem previsão de início de filmagem após o Carnaval 2017 é o segundo do cineasta Alessandro Buzo, que já dirigiu (junto com Toni Nogueira) Profissão MC, que teve o Criolo, na época ainda Criolo Doido, como protagonista.
Agora o filme em questão será filmado no Litoral Norte de São Paulo (Camburi, Camburizinho, Boiçucanga, Maresias), 100% com atores não profissionais, todos da região.
O filme da Suburbano Convicto Áudio Visual, vai ter parcerias com outras produtoras como DGT Filmes, Periferia Invisível, Cacau Ras na edição. Um filme que irá acontecer com ou sem dinheiro, no momento, apesar de afirmar que faremos o filme, não temos apoio nenhum, além da força da comunidade local que desde quando anunciamos o projeto, se mostra a fim de participar e ajudar.
- Apesar dos atores serem todos locais, a equipe é toda de São Paulo, apoio de pousadas e restaurantes serão bem vindos. Diz Buzo.
E ele mesmo, o diretor, que traz agora essa entrevistas exclusiva com eles, os protagonistas de FUI !
Com vocês, Brenalta Silva e Camila Lobato.

***
Fotos: Alessandro Buzo



Brenalta Silva e Camila Lobato
Protagonistas do filme: Fui !

***

Alessandro Buzo: Quem é o Brenalta Silva e Camila Lobato pra quem não conhece ?
Brenalta:
Bom eu sou rapper desde 2012, integrante do coletivo voz da rua mc's. Apaixonado pela escrita e o rap nacional.
Camila Lobato: Eu sou uma pessoa simples, de bem com a vida, cozinheira e turismologa, que prezo muito por minhas amizades, sou uma pessoa que adora uma boa conversa, eu amo falar rsrs.


Onde você mora no Litoral Norte, fale do seu entorno, seu bairro ?
Brenalta: Moro no bairro de boiçucanga desde que nasci, amo minha quebrada, mato e morro por ela.
Camila Lobato: Moro em Maresias, que é uma das praias mais conhecidas do Litoral Norte Paulista, com ondas perfeitas para o surf e a beleza da Mata Atlântica o bairro tem na área de hotelaria e gastronomia, suas maiores fontes de renda.


Desde quando mora no Litoral Norte e como chegou a região ?
Camila Lobato:
Moro no LN faz 16 anos, passei uma temporada morando na Australia, e quando voltei pra Sampa foi muito triste, morava perto da Av Paulista, tínhamos um restaurante no Brooklin, Restaurante Cambury, o litoral norte sempre presente rsrs, o tempo que demorávamos pra nos locomover era surreal, um dia chegaram uns construtores querendo comprar a casa, que era onde ficava o restaurante, ai começamos a procurar alguma coisa na praia, primeiro Ubatuba, onde eu gostava muito de ir desde criança, mas minha mãe achava muito longe, nessa epoca minha irma fazia faculdade e vinha muito pra Maresias com as amigas, então minha mãe venho ate aqui e gostou muito, era uma época muito boa pra comercio, em especial restaurante, ficamos 8 anos nesse corre, e paralelamente tb eu trabalhava em um hotel em Juquehy, Juquehy Praia Hotel, comecei a trabalhar lá no caixa do restaurante do hotel, em poucos meses estava ajudando no departamento financeiro, lá a empresa investe muito no seu colaborador, e então comecei a fazer faculdade no Guarujá, essa lida foi grande 4 anos que eu acordava as sete da manha tomava um busão aqui em Maresias ia ate Juquehy, saia do trabalho as quatro e meia pegava um bus ate a pista e depois um ônibus fretado ate o Guaruja, eu chegava em casa uma hora da manha e começava tudo de novo, passada essa lida de facu, tive uma filha Alice que hoje tem 5 anos, então ficou inviável pra mim fazer todo dia essa viagem ate Juquehy, como temos nosso próprio negocio em Maresias.


Buzo: Como foi pra você receber o convite pra ser protagonista do filme FUI ! .... ?
Brenalta:
Me senti honrado ao receber o convite, e pretendo me esforçar ao máximo pra que o trabalho saia perfeito
Camila Lobato: Foi totalmente inesperado, achei que era brincadeira, pq eu não sou atriz, nunca fiz nada parecido, mas fiquei muito lisonjeada com o convite, e vi que não tinha como recusar, devido a importância pra nossa região.


Buzo: Qual as expectativas pra esse trabalho ?
Brenalta:
Minhas expectativas são positivas, através do filme as pessoas vão conhecer um pouco do meu trabalho e o mais importante de tudo é que minha quebrada será valorizada como ela merece.
Camila Lobato: Nossa acho que vai ser muito legal, pq vai falar do nosso cotidiano, a trama também tem muito da vida real, e quando temos a chance de abordar assuntos que está diretamente ligado ao comportamento dos jovens eu acho que só tem a acrescentar.


Buzo: Como vê a importância de um filme 100% com moradores "locais" de São Sebastião ?
Brenalta:
O fato do filme só ter atores locais, valoriza muito a nossa originalidade, e isso ta faltando no ramo artístico atual.. As pessoas fingem o tempo todo, e com este filme nós (atores) vamos atuar de ser a gente. Rs
Camila Lobato: Isso é a parte mais bacana do filme, trabalhar com a galera daqui, estão todos já na maior pilha pra participar, geral querendo ajudar, tenho certeza que todos vão se envolver, e se orgulhar do resultado final.


Buzo: Qual a sua atuação cultural no momento ?
Brenalta:
Minha atuação cultural atual é múltipla. Eu canto com o voz da rua, participo de um programa sobre hip hop na rádio local, sou organizador de uma batalha de mcs na quebrada...
Camila Lobato: Eu procuro sempre me envolver em eventos locais, no momento apresento o Sarau Suburbano que acontece mensalmente no Cartola.



Buzo: Um time ?
Brenalta
: São Paulo futebol clube💜
Camila Lobato: Vixe eu sou suspeita, na minha família somos todos São Paulinos, a família do meu pai, sempre se envolveu muito com o futebol, meu pai Wilson, que é morador de Pirituba, sempre jogou bola no bairro, chegou a jogar na Portuguesa, mas naquela época não tinha todo esse glamour que cercam os jogadores de hj e ele acabou desistindo.


Buzo: Um filme ?
Brenalta:
Hotel Ruanda
Camila Lobato: Sonhadora, direção John Gatins e música composta por John Debney.
Acho que esse filme todos já viram na seção da tarde, Sonhadora, que dá nome ao filme, era uma egua que era uma grande promessa do turfe, mas sua carreira é subitamente interrompida por um acidente em uma corrida, com uma pata quebrada ela não tem mais nenhum futuro esportivo e seu proprietário quer sacrificá-la, então pai e filha assumem a árdua e impossível tarefa de, primeiro, fazer a potra voltar a andar e, por fim, voltar às raias e vencer a Breeders’ Cup Classic. Nessa jornada pai, filha e avô estabelecem profundos laços de amizade e companheirismo a garra da menina é uma coisa tão forte. É um filme que me emociona toda vez que vejo.





Buzo: Um livro:
Brenalta:
Capão Pecado - Ferréz
Camila Lobato: Caçador de Pipas autor Khaled Hosseini, editora: Nova Fronteira
O livro conta a história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos quase da mesma idade, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e sempre em busca da aprovação de seu próprio pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Os dois, no entanto, são loucos por histórias antigas de grandes guerreiros, filmes de caubói americanos e pipas. E é justamente durante um campeonato de pipas, no inverno de 1975, que Hassan dá a Amir a chance de ser um grande homem, mas ele não enxerga sua redenção. Após desperdiçar a última chance, Amir vai para os Estados Unidos, fugindo da invasão soviética ao Afeganistão, mas vinte anos depois Hassan e a pipa azul o fazem voltar à sua terra natal para acertar contas com o passado.



Buzo: O que te faz feliz ?
Brenalta:
A música me faz feliz.
Camila Lobato: Um dia de sol com a minha galeguinha na praia.




Buzo: Como vê a chegada minha "Buzo", na cena cultural do Litoral Norte ?
Brenalta:
Sua chegada Buzo, na quebrada, vai agregar muito na cultura, por tudo que representa e pelo espírito de fazer mais do que falar.
Camila Lobato: Só tem a acrescentar a sua chegada aqui na nossa area, vejo que a galera já vem curtindo muito Sarau Suburbano, essa aproximação que colocou a molecada em evidencia, eles olham pra você e pros convidados que trazemos pro Sarau e pensam que tem mais pessoas que estão ai pra dar uma virada nesse cenário, onde todos que moram na periferia não tem voz, a sua história inspira a galera.



Buzo: Considerações finais pra quem leu essa entrevista ?
Brenalta:
E pra quem leu a entrevista, espero que acompanhem todo o processo do filme, vai ser muito bom, aguardem!!
Camila Lobato: Espero que todos curtam nosso filme que vai ser feito com muito carinho e envolvimento da nossa quebrada, estamos todo muito felizes com essa oportunidade, e espero que traga coisas positivas pra todos.

FIM



Buzo e os protagonistas do seu novo filme

***

www.buzo10.blogspot.com
www.filmefui.blogspot.com

Reunião no Cartola torna oficial a notícia, segundo filme de Alessandro Buzo vai ser em 2017, gravado no Litoral Norte, 100% com moradores "locais".



Outubro de 2016

Título Provisório: Fui !



Evandro Borges, Ana Aragão, Alessandro Buzo, Brenalta e Camila Lobato.

Agora é Oficial, eu (Buzo) vou fazer um filme ano que vem (2017), meu segundo como diretor.
O título provisório (sugerido pelo Toni Nogueira, que vai ser diretor de fotografia) é: Fui !
Os protagonistas são Brenalta Silva e Camila Lobato, não só eles são locais, ele de Boiçucanga e ela de Maresias, 100% do elenco são moradores locais de Camburi, Camburizinho, Boiçucanga, Maresias.
O filme vai ser independente (sem dinheiro), numa parceria da Suburbano Convicto Áudio Visual e outras produtoras que anuncio em breve.
Mas esperamos que até o início das filmagens a gente consiga alguns apoios de restaurantes, pousadas e empresários locais, pra hospedar equipe em dias de filmagens, só equipe vem de São Paulo, almoço em dias de filmagens, pra quem estiver envolvido no dia. E despesas inevitáveis, mas com ou sem apoio eu já decidi que vou realizar o filme e a reunião ontem (sexta-feira, 28 de Outubro de 2016) no CARTOLA com os protagonistas Brenalta Silva e Camila Lobato, mais a Ana Aragão que vai participar e ajudar em parte da produção, depois de eu já ter no almoço me reunido o Toni Nogueira, é determinante pra anunciar oficialmente: - 2017 vou fazer um filme, meu segundo filme.
Aguarde cenas dos próximos capítulos.
Alessandro Buzo
cineasta

***
CRONOGRAMA DO FILME: FUI !


Novembro e Dezembro/2016: Pré-Produção, definição de elenco e locações de filmagens, fechar produtoras associadas.
Janeiro e Fevereiro/2017: Oficina e preparação dos atores. Programação de datas das filmagens.
Março à Maio/2017: Filmar, previsão 10 dias de filmagens.
Junho à Setembro/2017 - EDITAR
Outubro ou novembro/2017 - LANÇAMENTO

O que foi esse "Ensaio Sobre a Cegueira"


***
Acabei de assistir no CANAL BRASIL o filme "Ensaio Sobre a Cegueira", de Fernando Meirelles, com Alice Braga e grande elenco.
Nunca vi um filme tão louco, uma epidemia deixa todos cedos, absurdos acontece, só uma mulher não perde a visão.
Cenas gravadas num centro de São Paulo devastada, alucinante.
Legendado, como se não fosse SP.
Um filme difícil de digerir de tão absurdo.
Bem loko.
Alessandro Buzo



* 12 novembro 2016

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Primeira reunião do filme PERIFERIA de Alessandro Buzo



Cacau Ras (produtor), Alessandro Buzo (diretor), Binho Santana (produtor) e Kamuki (equipe Periferia Invisível)

Hoje (26/01/15) no Itaim Paulista, aconteceu a primeira reunião do filme PERIFERIA de Alessandro Buzo.
Participaram da mesma, Alessandro Buzo (diretor), Marilda Borges (equipe Buzo), Cacau Ras (produtor), Binho Santana (produtor) e Kamuki (equipe Binho).
Nesse primeiro encontro foi firmado o convite do Buzo e da Suburbano Convicto Áudio Visual para o Periferia Invisível e o Cacau Ras, somarem no projeto.
Cacau Ras deu (OK) 100% e o Binho Santana (P.I.) praticamente, só queria falar com sua equipe primeiro.
Além disso, foi falado que o filme deve acontecer mesmo sem captar nenhum dinheiro, mas que mesmo pouco, seria bem vindo e todos irão se empenhar pra correr atrás.
Também falamos de "AGENDA" de todos e prazos, além de equipamentos, todos envolvidos devem entrar com alguma coisa.
Foi só o primeiro encontro. Mas foi bastante proveitoso e esclarecedor.
Buzo

SOBRE O FILME...... Periferia de Alessandro Buzo.

* Vão ser 3 filmes (sem ligação entre eles), exibidos juntos torna um longa metragem.
* Um filme se passa entre o Bixiga e Nova Iguaçu-RJ (Baixada Fluminense), outra no litoral (Santos ou São Sebastião) e a terceira na zona leste de SP (Itaim Paulista, Vila Cisper).
* Direção, roteiros, argumentos e seleção de elenco, Alessandro Buzo.



Projeto do filme PERIFERIA sendo discutido.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Exibição do filme UM SALVE DOUTOR na Livraria Suburbano Convicto



Andrio Candido (Roteirista e protagonista) e o diretor Rodrigo Souza



Buzo, Andrio e Tubarão Dulixo

Hoje (quinta, 18/12/14), aconteceu a exibição do filme UM SALVE DOUTOR e debate com Andrio Candido (Roteirista e protagonista) e o diretor Rodrigo Souza.
O evento foi o último do ANO na Livraria Suburbano Convicto.
O filme vale muito a pena, grande atuação do protagonista Andrio Candido e do Dill Magno.
É o cinema da periferia em grande estilo.
Uma cena foi gravada no SARAU SUBURBANO, uma honra.
Colou uma rapa da hora pra exibição.
ANO QUE VEM TEM MUITO MAIS..........





Cena do filme




sexta-feira, 18 de julho de 2014

Crônica

EU e a magia do cinema.
Por: Alessandro Buzo

Esses dias (durante a Copa) vi no Programa #MadrugaSportv .... os apresentadores falando de cultura de países que estavam na Copa.
Num dia de jogo da Austrália eles falavam do filme CROCODILLO DUNDEE, como uma coisa do passado (e é), anos 80.
Percebi que estou ficando velho, eu vi esse filme no cinema, acho que no OLIDO.
Lembrei o quanto eu ia nos cinemas do centro de São Paulo, maioria fechado hoje em dia.
Começou na época que eu era OfficeBoy (era pré Moto Boy).... os Boy matavam o tempo nos FLIPERAMAS que existiam. Eu não curtia muito e por isso matava os trampo (ou fazia rápido) pra ir ao cinema antes de voltar ao escritório que trabalhava na Praça da Sê, comecei lá com 13 anos em 1985.
Virei um cinéfilo .... naquele tempo via todo tipo de enlatado americano e acreditem, foi bom.
Hoje não iria ao cinema ver esse tipo de filme, mas não me arrependo de ter vivido isso.
Vi vários Stallone (Rambo 1, 2, 3), COBRA, Rocky Balboa e por ai vai. Vi também muitos Arnold Schwarzenegger, como O PREDADOR, O Exterminador do Futuro 1, 2....
Tinha um cinema pequeno na Av São João que passava 2 filmes com 1 ingresso, por um tempão ficou em cartaz ROBOCOP 1 e outro filme, por isso assisti umas dez vezes ROBOCOP.
Lembro que fui no Cine Paissandu no Largo do Paissandu pra ver Atração Fatal.
King Kong eu vi no Art Palácio antes de virar Cine Pornô.
Assisti filme no OLIDO quando era comercial e tinha 3 salas.
No Marabá (que frequento até hoje), era uma sala gigante, hoje dividida em 5 salas.
Assisti vários filmes no CINE RITZ que hoje é estacionamento, quando vou no MARABÁ, deixo meu carro lá (com pesar), antes de chegar ao Marabá, lanche no REI DA MORTADELA.
Tinha o Cine Metro 1 e 2 na São João, virou igreja, ainda na São João tinha o Cine Regina que virou hotel.
Tinha o Marrocos 1 e 2 na Conselheiro Crispiniano, tinha o Ipiranga 1 e 2 na Av Ipiranga.
Depois vieram os Shopping´s Centers e as salas do centro foram fechando, fechando e hoje poucas sobrevivem.
Lembro ainda do Cine Penharama no bairro da Penha, era gigante também, lá assisti Karate Kid, hoje é uma loja de roupas, deve ter fechado também o outro cinema da Penha, o São Geraldo.
O Cine Belas Artes na Rua da Consolação, que vai reabrir, lá vi NOVE E MEIA SEMANAS DE AMOR com Kim Basinger e Michey Rourke e mais recentemente O CHEIRO DO RALO.
Tinha o COMODORO na Av São João, ele tinha 3 telas, as cadeiras eram uma arena e dependendo de onde vc sentava, estava de frente com uma delas.
Depois saturei de filme americanizado, mais foram vários clássicos como OS INTOCÁVEIS entre outros.
Passei a ir no cinema só pra ver filme infantil com meu filho e também cinema nacional. Sempre assisti e gostei de cinema nacional, mas nos anos 80, 90 era difícil entrar um em cartaz, demorava muito.
Acho que Cidade de Deus revolucionou o cinema brasileiro, sou grato a ele por isso.
Amo cinema, assisti TROPA DE ELITE 2 no dia da estréia no Cine Odeon no Rio de Janeiro, onde tive a honra de exibir meu filme Profissão MC (2009).
Outra sala gigante que exibiu meu filme foi no Cine CAUIM em Ribeirão Preto-SP, nesse dia conhecemos o Dr. Sócrates que bebia um chopp na ante sala do cinema, era dos point dele na cidade.
O cinema faz parte da minha vida.
Não existia cinema no Itaim Paulista onde eu sempre morei, ia nos do centro de São Paulo.
Nos anos 90 (acho) tinha o Cine Diretão, no Mini shopping Diretão na Av Marechal Tito, vi alguns filmes lá. Hoje no Itaim Pta tem o Cine Shopping Itaim no SONDAS do Km 28. A população prestigia pouco, eu já vi alguns filmes lá...
Amo cinema e me orgulho do status de cineasta que o filme Profissão MC me deu, a partir de 2015 que voltar a produzir filmes, curtas..... meu futuro ainda vai ter muito sobre cinema.

Alessandro Buzo, cineasta
www.buzo10.blogspot.com
Twitter: @Alessandrobuzo

domingo, 13 de abril de 2014

'Confia em mim', com Mateus Solano e Fernanda Machado, estreia em todo o Brasil

FONTE: http://divirta-se.uai.com.br/app/noticia/cinema/2014/04/10/noticia_cinema,153472/confia-em-mim-com-mateus-solano-e-fernanda-machado-estreia-em-todo.shtml




Em quem você confia? O ator Mateus Solano, um dos protagonistas de 'Confia em mim', que tem a verdade como tema principal e que entra em cartaz nesta quinta-feira, em 250 salas no Brasil, revela que, às vezes, confia mais nos outros do que em si próprio. Tanto é que aceitou o convite do diretor Michel Tikhomiroff , que tem uma carreira importante e premiada dirigindo séries e comerciais, mas está à frente do seu primeiro longa-metragem. “Essa coisa da experiência é muito relativa. Michel é um diretor muito seguro, sabe bem o que quer. Mesmo eu tendo vivido muita coisa e uma bagagem interessante que construí ao longo dos meus 13 anos de carreira, ainda me considero iniciante e não é por isso que vou deixar de confiar num ‘estreante’. Ensaiamos muito e saiu exatamente do jeito que ele queria”, diz o ator, de 33 anos.

Confira os horários das sessões

Extremamente satisfeito com o resultado, ele não tem dúvidas de que a produção tem tudo para dar certo, pois tem vários fatores que contribuem para o êxito da empreitada. “No fim das contas, é o público quem vai definir, mas acho que não tem por que as pessoas não gostarem. O filme é bem redondo, está tudo bem correto. Estou feliz por mim e, principalmente, pelo Michel”, ressalta.

No filme, em que ele atua ao lado de Fernanda Machado, Mateus vive o enigmático e complexo Caio. Um homem que não parece ser quem exatamente é. Para o artista, nascido em Brasília e radicado no Rio, um dos motivos que mais o cativaram a aceitar o papel foi o fato de o personagem ser completamente diferente de tudo o que já tinha feito, além de ter gostado muito do roteiro de Fábio Danesi. “Caio é um cara aparentemente comum. Ele entra no vazio existencial daquelas mulheres, preenchendo as inseguranças e a falta de autoestima delas, e, desse jeito, ele vai conseguindo o que quer”, analisa. Sobre a companheira de elenco, Fernanda Machado, é só elogios: “Foi o nosso primeiro trabalho juntos. E logo depois, por coincidência, veio 'Amor à vida', em que interpretamos primos. Tomara que venham mais parcerias. Deu supercerto. ”

MEMÓRIA Além de 'Confia em mim', Mateus Solano, que é formado em artes cênicas pela UniRio, tem outro projeto cinematográfico que estreia este ano, 'O menino no espelho', com previsão de chegar ao mercado em junho, e que terá a primeira exibição durante o Cine PE, no Recife, no dia 30. Baseado na obra homônima de Fernando Sabino, a produção tem direção de Guilherme Fiúza Zenha e conta a história de um menino que vê seu reflexo no espelho ganhar vida.

Mateus, que na época das filmagens ainda estava interpretando Mundinho Falcão em 'Gabriela', vinha direto do Rio de Janeiro, de carro, para Cataguases, na Zona da Mata mineira, dar vida a Domingos, o pai do protagonista. “Li o livro quando era criança e sob a perspectiva de um menino. Depois, fui reler quando já estava escalado para fazer o pai e foi um outro olhar. Foi bacana aquele período de gravações. Estou doido para ver o resultado”, revela o ator, pai de Flora, de 3 anos, fruto do seu casamento com a atriz Paula Braun.

Depois de passar um ano dedicado totalmente ao carismático Félix na novela 'Amor à vida', em que protagonizou o primeiro beijo gay masculino da história da TV brasileira, o ator ainda se surpreende com a repercussão de seu personagem. Mesmo com a trama de Walcyr Carrasco tendo terminado no fim de janeiro, o papel ainda lhe rende prêmios e abordagens calorosas. “Fico realmente muito feliz com tudo isso. Hoje em dia tudo é tão efêmero e ver um personagem ser tratado dessa maneira tão carinhosa é bacana. Todo mundo falou que o Félix ia entrar para a história e, realmente, parece que entrou”, ressalta.

Mas, em 2014, o intérprete do vilão homossexual que se redimiu e caiu nas graças do público não será mais visto na telinha. Além do cinema, Mateus vai se dedicar aos palcos, com a retomada do espetáculo 'Do tamanho do mundo', que reestreia nesta sexta-feira, em São Paulo. A peça, escrita por sua mulher e com direção de Jefferson Miranda, vai ficar dois meses na capital paulista e depois segue para o Rio. “Essa montagem me deu uma satisfação enorme. Chamei todo mundo que queria. Não poderia estar mais contente”, conclui.

As aparências enganam

À primeira vista, 'Confia em mim' parece uma daquelas comédias românticas açucaradas, meio novela, ainda mais que conta no elenco com atores típicos dos folhetins televisivos, no caso Fernanda Machado e Mateus Solano. Na história, ela é Mari, uma chef de cozinha talentosa, que sonha em ter seu próprio restaurante e se envolve com o sedutor Caio, personagem de Mateus Solano, que oferecerá condições para Mari realizar seu grande sonho. Porém, as coisas não são o que parecem ser.

Um dos destaques do longa é que a mocinha não é aquela típica a que estamos acostumados. Uma mulher que fica em casa sofrendo, chorando, meio banana. Ela sai em busca de justiça, é batalhadora e, ao longo da trama, que mescla drama, suspense e mistério, descobre uma força que ela mesma não sabe que tem. Tanto que o próprio diretor, Michel Tikhomiroff, optou por contar a história pela ótica da vítima, que, segundo ele, seria um ponto de vista mais original.

Fernanda Machado se entregou ao papel: chegou a ter aulas com o chef André Otero e frequentou cozinhas de restaurantes em funcionamento. A química entre ela e Mateus Solano é um dos pontos altos de 'Confia em mim' e, curiosamente, o casal de atores se conheceu justamente durante a filmagem. O longa vai tomando outro rumo e no meio do caminho há uma virada, mas nada que possa surpreender demais. No geral, é uma estreia mediana do diretor Michel Tikhomiroff.


* Matéria reproduzida, fonte acima